publicidade

Blog do Milton Neves

Cássio, Felipão, Esporte Interativo, Flamengo e Agosto

Milton Neves

Cada dia mais fica claro que Cássio deveria ter sido o nosso goleiro na Copa.

E não Alisson, aquele que não frangou, mas que também “nada fez” nas bolas que chutaram contra ele.

Foi um goleiro “Leite Glória”: bateu, tomou!

Já o gaúcho cabeludo é o bom faz anos e se o péssimo Paulinho teve convocação, escalação e “posição fixa” por “titística” gratidão corintiana pela Libertadores e pelo Mundial de 2012, Cássio então merecia muito mais.

Contra Diego Souza do Vasco e Fernando Torres e cia. do Chelsea, ele foi o melhor dos corintianos, viu, Tite?

Já Felipão chegou e encorpou o Palmeiras.

Moisés disse que ele “engorda” o banco e assusta o time adversário.

Verdade e foi bom ver o veterano treinador vibrar tanto com os gols de Borja como se fossem do saudoso Soares ou do ótimo ponta Jairo Lenzi de seu heroico e improvável Criciúma campeão da Copa do Brasil de 1991.

Foi quando Felipão “nasceu” para o banco de reservas.

E não é que “morreu” o “Esporte Interativo”?

Uma pena.

Mais uma facada na bolsa de empregos da nossa mídia esportiva.

E se a Fox também for “incorporada”, como tanto se fala e se teme por aí?

Enfim, que o canal “EI” volte forte um dia sem ser chamado de “Esporte Interativo”, que não orna e que não vende.

“EI” então, pior ainda…

Remete ao fatídico e terrível “EI” de “Estado Islâmico”.

Falei isso há meses para dois fortes executivos cariocas do “ex-canal” em jantar em São Paulo.

Foram dois, um de cada vez.

Queriam saber de… publicidade!

E talvez de Milton Neves lá.

Não deu, não dava, o Morumbi é meu último estádio.

Na meta da vida os cordéis do meu “Fundo Do Gol” balançaram exageradamente muito mais do que esperava como titular do timaço “Improvável FC”!

Muito bom para quem esperava só uns dois ou três golzinhos chorados no “Estádio” Professor Antônio Milhão de Muzambinho-MG e olhe lá…

Mas, enfim, desejo sorte e volta ao “EI” e que todos entendam: sem publicidade a TV vive tão bem quanto peixe sem água.

E se você é jornalista empregado de rádio e TV, sendo publicitário ou não, fique ligado no Departamento Comercial.

Se não quiser ou tentar vender, tudo bem, mas que pelo menos não atrapalhe, porque é tiro no pé.

Importante também que ninguém sinta profunda inveja de quem vende e gera empregos.

Isso deixa cotovelos extremamente pontiagudos e doloridos.

E o Flamengo?

“Palmeiras do Rio”, por tanto dinheiro e tanto jogador famoso, não há meio de sentir forte cheiro de título top.

Com o Urubu já eliminado pela Raposa na Libertadores, o Flamengo tem apresentado péssimo custo-benefício para seu torcedor que pagou R$ 180,00 para entrar no Maracanã na quarta-feira e de lá saiu com “02 cruzeiros”.

E assim vamos vivendo Agosto, que o ciumento Augusto inventou para ele porque Júlio César havia criado o “seu” mês de… Julho!

Isso porque, gente, antes do Império Romano, tínhamos não 12, mas só 10 meses, sabiam?

Tanto é lógico que dezembro vem de 10, novembro de nove, outubro de oito e setembro de sete.

Adoro Agosto, mês em que nasci, mês de meu primeiro emprego no rádio, mês do Dia dos Pais, mês em que meu filho caçula casou-se e mês também em que a maioria dos bons sonhos se concretizam em vitórias, conforme pesquisa mundial feita pelo jornalistas Claudio Scaff Zaidan e Mauro Alexandre Zioni Racioppi, diretores do “DATAZAZI”.

Segundo eles, os piores meses são janeiro e maio, sabe-se lá o porquê…

E é nóis, vai, Curintcháááá!!!

Opine!