publicidade

Blog do Milton Neves

O mata-mata também faz falta na Espanha e na Inglaterra!

É, meus amigos, não acontece só aqui no Brasil, não!

Os malditos pontos corridos estão conseguindo deixar o futebol muito mais chato também nas ótimas ligas da Espanha e da Inglaterra.

Afinal, na Terra da Rainha, o competente Guardiola já está careca de saber que o seu arrasador Manchester City levará a taça da temporada 2017/18 da “Premier League”.

E lá na Espanha, o genial Zidane também já está careca de saber que o seu grande rival, o Barcelona de Messi e de Paulinho, é o campeão do Espanhol.

Isso que os dois campeonatos estão praticamente na metade!

Quanta emoção, não é mesmo?

E tem quem goste!

Vai entender…

Que a Fifa caia na real logo e proíba para sempre esse horroroso sistema de disputa, não é mesmo?

Opine!

Compartilhe:

E se Jesus não chegar 100% para a Copa?

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Jesus não é nenhum Ronaldo, Romário ou Careca, é verdade.

Nos últimos tempos, cheguei a brincar com o bom garoto revelado pelo Palmeiras, dizendo que no City de Guardiola ele só tem marcado “gol fácil”.

Mas a verdade é que ele é o melhor nome que temos para fazer dupla de ataque com Neymar na Copa deste ano.

Só que a lesão no joelho sofrida por Jesus na partida do Manchester City diante do Crystal Palace deixou os amantes da seleção brasileira com a pulga atrás da orelha.

Os médicos do clube inglês garantem que ele voltará em seis semanas.

Mas…

E se Jesus não chegar 100% para a Copa?

Quem Tite deveria colocar em seu lugar?

Você apostaria no agora “japonês” Jô?

Opine!

Compartilhe:

Copa São Paulo: de Falcão, Dener, Kaká e Gabriel Jesus. E do Timão, maior campeão!

Começou a 49ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

O torneio, que teve seu pontapé inicial em 1969 (o Corinthians foi o campeão), revelou grandes jogadores.

Alguns craques que fizeram história pelo futebol brasileiro e mundial disputaram a Copinha, como Falcão, Dener, Toninho Cerezo, Raí, Dida, Casagrande, Kaká e, mais recentemente, Gabriel Jesus, revelação em 2015, entre outros.

Ah, falando em Dener… Que pena sua morte precoce.

Espécie de Neymar do começo dos anos 90, revelado na base da Lusa, então treinada por Écio Pasca.

Verdade seja dita, a “Copinha”, como é carinhosamente chamada, se agigantou em número de participantes (128 nesta edição), coadjuvantes em sua retumbante maioria, mas acaba sendo bacana observar aquela garotada vindo de lugares distantes com o sonho na cabeça e o coração na ponta das chuteiras.

O tempo dos “olheiros” ficou para trás…

Muitos meninos são empresariados, há multas rescisórias milionárias e não será surpresa se alguma revelação fizer “ponte aérea” direto daqui para a Europa. Ou a China…

Bom, falando em conquistas, amplo domínio do Corinthians, com dez títulos. Aliás, o Timão é o atual campeão, venceu em 2017 a decisão contra o Batatais.

Depois, estão Fluminense (com cinco) e Inter (com quatro).

Quatro times ganharam por três vezes: São Paulo, Santos, Flamengo e Atlético-MG.

E o Palmeiras… Bom, o Verdão persegue sua primeira conquista na Copa São Paulo.

Nesta entressafra futebolística, a Copinha preenche, muito bem, diga-se de passagem, a falta que faz um torneio bem disputado.

Aliás, disputado no melhor formato de todos: o “mata-mata”, aquele que deveria ser adotado em todos os campeonatos de futebol do universo!

Viram em que “pé” está o Campeonato Espanhol, por exemplo, com seus pontos corridos?

Não chegou nem na metade e o Barça já está com uma mão na taça, com 11 pontos de vantagem sobre o segundo colocado…

No Inglês, com 20 rodadas, o City abriu 15 pontos sobre o vice-líder…

Em 25 de janeiro de 2018, aniversário da cidade de São Paulo, acontece a final.

Será que o Timão, maior campeão do torneio, repetirá o triunfo do ano passado e ampliará sua vantagem para começar o ano com o pé direito?

Será que o Palmeiras finalmente vai ganhar sua primeira Copinha?

Por fim, será que surgirá outro super astro na edição de 2018, capaz de entrar para a galeria dos grandes craques de sua história?

OPINE!!!

Compartilhe:

No mercado agitado da bola, quem se sairá melhor? Verdão segue dando show!

Mais um ano se encerrou. Com ele, ficam os nossos erros e acertos.

E é assim que começa mais uma temporada, com os clubes agitados e preocupados em alcançar apenas o sucesso.

Pois, mal acaba o Brasileirão e as especulações envolvendo os jogadores logo se iniciam.

Um “tal de disse me disse” sobre transações é o que mais se ouve falar.

A bem da verdade, surpresas sempre nos pegam de jeito, mas raras às vezes.

O lado bom disso tudo, é poder acompanhar a movimentação dos times, com as investidas e os tradicionais “chapéus”.

Por falar em chapéu, o Palmeiras, que quase se tornou uma “Portuguesa”, hoje é um grande mestre na arte da negociação.

Dentre os grandes de São Paulo, de uns tempos pra cá, o Verdão virou uma espécie de Real Madrid ou Barcelona no quesito contratação.

Até o momento, cinco caras novas já fazem parte da Academia de Futebol: Weverton, Marcos Rocha, Diogo Barbosa, Emerson Santos e Lucas Lima.

É aí que Corinthians, Santos e São Paulo acabam “penando” com o poderio alviverde, que devido a qualidade do elenco, a equipe começa o ano favorita a qualquer título.

E como um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, será difícil o Timão, por exemplo, novamente ser campeão de tudo com um time limitado a estrelas.

Já o meu Peixe e o Tricolor, provavelmente sofrerão com as perdas significativas e a pouca atitude na busca por reforços.

Mas e você torcedor, acha que o Palmeiras se sairá melhor no mercado da bola?

Conseguirá o Verdão formar um time digno de ser campeão mundial pela primeira vez?

OPINE!!!

Compartilhe:

Minha pequena homenagem a alguns de meus times do Brasil!

Faz um frio danado aqui em Nova York.

Se tivesse algum pinguim hoje em Upper East Side ele estaria procurando aconchego ao lado da lareira…

Bom, aproveitei esta manhã de céu azul enganoso, de uma das varandas, para mostrar para vocês algumas das minhas camisas de times de futebol, parte da coleção que tenho neste meu “puxadinho”, para homenagear alguns dos meus times.

Era uma coleção ainda mais robusta, mas Neto e Denilson Show estiveram aqui no ano passado e levaram algumas embora…

E, se é para fazer esse frio todo, que caia neve logo!

É um transtorno danado, os moradores fixos detestam, mas que é bonita a danada, isso é!

 ABAIXO, O VÍDEO, DIRETO DE UPPER EAST SIDE, NOVA YORK

Compartilhe:

São Paulo aposta em velhos ídolos para os bastidores. Mas, e os jogadores, Leco?

Foto: Divulgação/São Paulo Futebol Clube

O São Paulo, que já havia anunciado Raí como executivo de futebol, agora trouxe Ricardo Rocha para coordenador.

Ótima pessoa e inteligente, Ricardo Rocha, que até outro dia era um dos bons comentaristas do SporTV, pode sim contribuir na reorganização do outrora soberano São Paulo Futebol Clube.

A dupla tem história no clube do Morumbi. E competência para fazer um bom trabalho nos bastidores.

E ainda comenta-se que Lugano pode chegar para formar esta, digamos, tríade de notáveis.

Mas fora isso, que é importante, claro, sua enorme torcida merece um time à altura de sua robusta sala de troféus.

O presidente Leco precisa começar a se mexer para trazer bons jogadores, até porque está na iminência de perder o artilheiro Lucas Pratto.

Buffarini, que não é nenhum Carlos Alberto Torres, já bateu asas, assim como o goleiro Renan Ribeiro.

Falando em goleiro, Jean, do Bahia chegou, mas ainda é muito pouco, sobretudo se o time quiser brigar para estar na parte de cima da tabela…

Hoje, Hernanes é o único fora de série do elenco. E está no clube por empréstimo, até o final de junho do ano que vem…

Ser coadjuvante, principalmente no Brasileirão, é algo que o torcedor são-paulino não quer mais, muito menos ter em 2018 um ano de sufoco como teve neste que está findando, “pererecando” na zona da degola…

E, claro, o objetivo maior, é “abiscoitar” uma vaguinha na longínqua Libertadores de 2019…

PERGUNTO…

Quando poderei repetir a frase que cunhei nos anos 90:

“Torcer para o São Paulo é uma grande moleza”, hein?

Que jogadores devem chegar para elevar o patamar do time de Dorival Júnior?

OPINE!

Compartilhe:

Adriano Imperador ainda pode dar um “caldo” no futebol?

Foto: UOL

É verdade que foi uma pelada, mas ele mostrou que ainda sabe o que faz com a bola…

Adriano Imperador, que não pisava no gramado do Maracanã há sete anos, foi a grande atração do Jogo das Estrelas, evento beneficente realizado na noite da última quarta-feira (27), promovido por Zico, maior ídolo rubro-negro em todos os tempos.

Em recente entrevista a Pedro Bial, Adriano disse que voltará a jogar em 2018, e a torcida do Flamengo sonha com o retorno de seu ídolo, que vestiu a camisa rubro-negra no início de sua carreira e onde teve brilhante passagem entre 2009 e 2010.

Ele completa 36 anos em 17 de fevereiro, e a idade nem parece ser o maior problema deste moço que é amigo de seus amigos, que nunca deixou sua amada comunidade de Vila Cruzeiro, no Rio, valorizando suas origens.

Talento ele não deve ter perdido. É preciso saber se conseguirá estar fisicamente bem e com disposição para encarar um desafio profissional.

Hoje ele é um ex-jogador, que enfrentou problemas com alcoolismo e depressão.

Precisará lutar para provar que ainda pode dar “um caldo”, seja pelo Mengo ou por algum outro clube.

Você acha que Adriano Imperador  merece uma nova chance?

OPINE!

Compartilhe:

Spray na barreira! Virou briga judicial a invenção de telespectador do SuperTécnico da Band

O “spray da barreira” foi uma das ideias mais bem “sacadas” nos últimos tempos no futebol.

Com regras praticamente pétreas, nenhuma mudança no futebol foi fácil de ser implantada.

E, assim como o goleiro, que não pode mais usar as mãos nas bolas recuadas por seus companheiros de time, o “spray da barreira” foi uma simples mas bem pensada solução para o problema dos jogadores não mais avançarem (ou, pelo menos serem “dedados” pelo ato”).

E esta ideia nasceu em 1999, no marcante “SuperTécnico” da Band, em dia de debate sobre o problema dos jogadores da barreira avançarem no momento das cobranças de falta.

Na ocasião, salvo engano, porque a memória é boa mas também não sou infalível, foi em 09 de maio de 1999, com presenças de Paulo César Carpegiani (então treinador do São Paulo), Felipão (técnico do Palmeiras), Levir Culpi (Cruzeiro) e Zagallo (que logo depois assumiu o comando técnico da Portuguesa de Desportos), deram suas opiniões sobre o problema.

Aliás, Felipão estava enfurecido, pois seu Verdão havia perdido para o Tricolor de Carpegiani por 5 a 1…

Carpegiani estava muito feliz naquele 09 de maio de 1999. Então treinador do São Paulo, seu time venceu o Palmeiras de Felipão por 5 a 1…

Um telespectador (que gostaria imensamente de conhecer) mandou uma mensagem, que foi selecionada por Luize Althenhofen (que está na foto de abertura do post), sugerindo a adoção de um creme de barbear para que o árbitro marcasse o local para a bola e os defensores se posicionarem.

Bingo!

Eduardo José Farah (1934-2014), então presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol) achou a ideia genial e começou a utilizar, após pedir que um químico desenvolvesse o produto, pois o creme de barbear prejudicaria os gramados. Era preciso algo inócuo. Depois, a Fifa copiou a ideia deste brasileiro anônimo.

Cléo Brandão, Felipão, Milton neves e Eduardo José Farah, durante encontro em 2000

Heine Allemagne é dono da patente registrada no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) pela composição de espuma em spray para demarcar e limitar distância regulamentares nos esportes, e ele cobra da Fifa os direitos por sua invenção.

Nos últimos anos, qual foi a melhor ideia implantada no futebol?

Você teria outras sugestões para deixar o futebol ainda melhor?

Mudaria algo em relação aos impedimentos, por exemplo?

E os cartões?

Que tal um cartão azul, como no futsal, que tira um jogador por certo tempo e ele pode voltar depois?

E uma substituição ser revertida, como no vôlei, futsal ou basquete, por exemplo?

E, SOBRE O SPRAY NOS GRAMADOS…

Moral da história: quem inventou foi um torcedor brasileiro, telespectador do SuperTécnico da Band, e não esse cidadão que registrou a ideia implantada por Eduardo José Farah, sem ordem da enciumada Fifa.

Fifa que hoje briga com o detentor da ideia registrada.

Aqui de Nova York, e de público, peço que meu editor do “GOL”, o excepcional historiador esportivo da Band, Vagner Lima, resgate o programa, ou outros mais pra frente, porque a Luize ou eu, um dos dois, deve ter lido o nome do autor da bela ideia. Que a Fifa se junte a ele no processo, a não ser que o cidadão tenha registrado o que alega ANTES de existir o SuperTécnico.

Mas o importante é que este “Ovo de Colombo” seja mantido no futebol com o telespectador sendo homenageado

OPINE!

Compartilhe:

Galvão Bueno é bom demais, e segue como o preferido dos jogadores. Mas, também, é eleito como o pior narrador…

Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

Aquela máxima de “ame ou odeie”, cai bem para Galvão Bueno…

Em mais um tópico da pesquisa do UOL com os jogadores que atuaram no Brasil em 2017, agora sobre os narradores esportivos, Galvão Bueno continua sendo o mais lembrado, tanto como o melhor como também o pior…

Na enquete, Galvão foi o preferido de 32,4% dos boleiros, seguido por Luiz Roberto (23,4%), seu colega na Rede Globo.

Outros dois da emissora do Jardim Botânico aparecem a seguir: Milton Leite (12,6%) e Cléber Machado (9,9%).

O quinto e o sexto lugares ficaram, respectivamente, para André Henning, do Esporte Interativo (4,5%) e Gustavo Vilani, do Fox Sports (1,8%).

GALVÃO TAMBÉM NA LANTERNA…

Galvão é apontado como o pior para 17,1% dos jogadores, seguido de perto por Alex Escobar, também da Globo, com 15,3%.

Na sequência, em um “empate técnico”, aparecem Luiz Carlos Júnior e Milton Leite, com 9,0% e 8,1%, respectivamente.

Sempre nos holofotes, Galvão Bueno caminha para narrar mais uma Copa do Mundo, a de 2018, na Rússia.

O narrador, que completou 67 anos em 21 de julho deste ano, foi o grande homenageado no Troféu Aceesp, realizado em 1º de dezembro no Esporte Clube Sírio.

Galvão recebeu a deferência pelo “conjunto da obra”.

E para você, amigo que acompanhou o esporte em 2017, quem foi o melhor e o pior das narrações esportivas no Brasil?

OPINE!

LUTO…

Morreu ontem, terça-feira (26), o jornalista Fran Augusti, ex-editor de esportes do jornal “O Estado de São Paulo”.

Eu, Milton Neves, estive com o Fran Augusti na cobertura da Macabíada Mundial de Israel em 1985, e ali conheci uma figura exemplar. O Fran Augusti vai deixar muitas saudades”.

Tel Avivi, 1985. Milton Neves e Fran Augusti durante a Macabíada Internacional em Israel

Em 1985, Milton e Fran Augusti no Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado e venerado pelo povo judeu por tratar-se da única relíquia do último templo. O Muro Ocidental é uma pequena parte da muralha, construída por Herodes no ano 20 a.C., ao redor do segundo Grande Templo

No dia 20 de maio de 2013, Fran Augustí e Milton Neves estiveram na festa de lançamento da produtora “Infiniti”, em São Paulo. Foto: Rubens Chiri

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE FRAN AUGUSTI NA SEÇÃO “QUE FIM LEVOU?”

Compartilhe: