publicidade

Blog do Milton Neves

Categoria : Estádios da Copa

Corinthians tropeça na Libertadores, mas garante o primeiro lugar do grupo. Inter atropela Universidad de Chile
Comentários COMENTE

Milton Neves

7UPuOkpoW_2rOb-eD7wkQIjcyUK0xcODwa7lOQw75dI

Em um jogo equilibrado, o Timão empatou em  0 x 0 com o San Lorenzo pela fase de grupos da Copa Libertadores.

A primeira etapa foi  fraca tecnicamente. O atacante Vagner Love teve pelo menos duas chances claras de abrir o placar, mas se embananou com a bola.

O segundo tempo não foi diferente, parece que o 0 x 0 foi bom para as duas equipes.

Se o Corinthians vencer o São Paulo na última rodada, bastará uma vitória simples para o San Lorenzo conseguir a classificação. Foi um jogo “muy amigo”?

O Corinthians não mostrou a mesma raça dos outros jogos e muito menos a técnica.

Nem a torcida dos são-paulinos ajudou o Timão a vencer.

Faltou motivação?

Se jogar essa bolinha contra o embalado Palmeiras, será eliminado do Paulistão no domingo.

Internacional x Universidad de Chile

Em uma grande falha do nosso conhecido Johnny Herrera, Nilmar abriu o placar antes dos 10 minutos. Logo depois Eduardo Sasha ampliou o marcador. Ainda na primeira etapa, Nilmar marcou novamente. Valdivia (o que joga sempre) anotou o dele no segundo tempo.

Outros jogos da Libertadores:

Boca Juniors 2 x 0 Montevideo

Zamora 0 x 4 Palestino

Jogos de volta da Copa do Brasil:

Bragantino (classificado) 1 x 0 Lajeadense

Bahia (classificado) 3 x 2 Nacional-AM

Sport (classificado) 4 x 1 Cene

Fortaleza (classificado) 2 x 1 River-PI

Imagem: Lucas Micheletti


Corinthians joga por apenas 45 minutos e vence Ponte Preta com ajuda do “Apito Amigo”. São Paulo sofre no início, mas corta as asas do surpreendente Red Bull com um imponente 3 a 0
Comentários COMENTE

Milton Neves

11115979_832448296826372_1146328523_n

Corinthians 1 x 0 Ponte Preta

Em clima de decisão, Corinthians e Ponte Preta iniciaram a partida em meio a uma charmosa névoa de fumaça formada pela Fiel, que fazia grande festa.

A festa continuava nas arquibancadas quando ainda no início do jogo, Elias deu uma entrada criminosa no “muso” Rildo, jogada que ficou apenas no cartão amarelo. APITO AMIGO!

Fágner iniciou uma boa troca de passes aos dez minutos de jogo que quase terminou em um gol de Elias.

O bom Renato Cajá também mostrou o ar de sua graça e, por pouco, não terminou em gol o passe que deu a Biro Biro.

O primeiro tempose estendeu com as duas equipes jogando de forma aberta, mas estranhamente não se viu o costumeiro domínio corintiano na Arena Corinthians.

Prova disso foi o gol marcado pela Macaca aos 37 minutos, mas foi anulado. Falha GRAVÍSSIMA da arbitragem.

Mesmo após o lance, a ponte não se abateu e só não abriu o placar, novamente, porque Cássio fez mais um de seus milagres.

As equipes voltaram para o segundo tempo com as mesmas posturas, mas era fácil nota que a Ponte Preta começou a perder força.

Aos dez minutos, após uma belíssima troca de passes, Renato Augusto fez o primeiro gol da partida.

Era o que o Corinthians necessitava para enfim sentir-se em casa. Mas não por muito tempo.

Nos últimos minutos de jogo a Ponte voltou a pressionar e mesmo sem garantir a vaga mostrou que pode fazer um bom Campeonato Brasileiro.

A partida do Corinthians não foi ruim, mas os comandados de Tite começam a mostrar deficiências que há pouco tempo não eram visíveis.

São Paulo 3 x 0 Red Bull Brasil

Ainda abalado com a saída de Muricy, o São Paulo entrou em campo contra o Red Bull disposto a espantar qualquer possibilidade de agravar ainda mais a situação do clube, que terá pela frente algumas decisões nas próximas semanas.

O bom trabalho feito pelo jovem técnico Maurício Barbieri era evidenciado pelo bom posicionamento da equipe de Campinas. Bom desarmes e contra-ataques levaram perigo ao Tricolor por algumas vezes.

Mas é nesse tipo de jogo que os grandes jogadores fazem a diferença, e dessa forma ninguém melhor que Rogério Ceni para abrir o placar, em falta cobrada com perfeição.

A partir daí o jogo ficou nas mãos do clube do Morumbi, que sem muitas dificuldades ampliou o placar, com gol de Alexandre Pato.

Dez minutos depois foi a vez de Ganso marcar o seu e comemorar de forma misteriosa.

Foi apenas questão de tempo para o apito final e a confirmação da vaga nas semifinais, jogo em que o novo técnico já deverá estar a frente da equipe.

E para você, torcedor, o futebol mostrado hoje é suficiente para tirar o favoritismo do Alvinegro de Itaquera?

A invencibilidade irá cair,ou o título invicto acontecerá como em 2009?

O bom resultado deixa o São Paulo com moral para conseguir arrancar para o título?

OPINE!


De virada, SPFC vence a Ponte Preta. Na estreia de Dagoberto, Vasco faz cinco. Galo massacra URT e Inter bate o Brasil de Pelotas
Comentários COMENTE

Milton Neves

2

São Paulo x Ponte Preta

A Ponte Preta começou partindo para cima e logo aos nove minutos de jogo, em uma falha da defesa do São Paulo, a Macaca abriu o placar com Roni, jogador que tem vínculo com o Tricolor.

Poucos minutos depois, Rodinei quase marcou novamente para a Ponte Preta. E a Macaca ainda mandou uma bola no travessão de Rogério Ceni, em um ótimo chute de Bruno Silva.

O fraco São Paulo de hoje ainda sararicou uma bola ou outra, mas a primeira etapa terminou com a Ponte Preta dominando o jogo.

Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo a Ponte Preta perdeu três gols. O São Paulo atacou mal e a Macaca fez boas jogadas nos contra-ataques, mas não foi eficiente ao finalizar.

E aí vem aquela velha máxima do futebol que o Mauro Beting criou, quem não faz toma. Aos 20 minutos o zagueiro Paulo Miranda deu uma de centro-avante e empatou o jogo.

E a Ponte continuou perdendo gols…

Não deu outra, a camisa do São Paulo pesou e Alan Kardec marcou o gol da vitória Tricolor.

No final da partida a torcida da Ponte pediu pênalti, alegando que Kardec colou a mão na bola, mas não foi nada.

Apesar de jogar com o time reserva, o São Paulo não mostrou vontade. Quarta-feira o espirito precisa ser outro, caso o Tricolor queira passar de fase na Libertadores.

Palmeiras x XV de Piracicaba

O Palmeiras começou com a corda toda e pressionou o XV com Dudu, Robinho, Cristaldo e alguns outros jogadores que tentaram marcar o gol, mas o time de Piracicaba não cedeu o segurou o 0 x 0 na primeira etapa.

O segundo tempo não começou diferente. O Palmeiras criando algumas jogadas, mas na hora do último passe e da finalização, errava muito.

Promessa da base, Gabriel Jesus entrou e logo conseguiu uma expulsão do time adversário. Tony deu carrinho no garoto do Verdão e levou o segundo cartão amarelo.

Com um jogador a mais, o Palmeiras se lançou ao ataque e o XV recuou mais ainda, trocando os três atacantes por defensores.

Não teve jeito, com o Verdão todo lançado ao ataque, o gol saiu. Zé Roberto cobrou escanteio e o meio-campista Gabriel acertou um belo chute no canto direito do goleiro Roberto.

Com o placar aberto, o jogo ficou mais fácil para o Palmeiras, que criou mais algumas jogadas de perigo. Mas a partida acabou com um magro 1 x 0.

Outros estaduais:

Vasco x Nova Iguaçu

O torcedor do Vasco compareceu ao estádio para ver a estreia do atacante Dagoberto e ele não decepcionou, marcou um gol na primeira etapa, além dele o também jogador de área, Gilberto, o volante Serginho e o zagueiro Luan deixaram sua marca. Marlon descontou para o Nova Iguaçu.

No segundo tempo Gilberto deu lugar a Thalles, que entrou e marcou o quinto gol do Vasco.

Atlético-MG x URT

Com a cabeça na Libertadores, o Galo recebeu o URT e Luan marcou o único gol da primeira etapa. O talismã do Atlético e o argentino Lucas Pratto mostraram que estão entrosados.

No segundo tempo Marcos Rochas, Lucas Pratto e Dudu (contra) marcaram e sacramentaram a vitória do Galo Mais Lindo do Mundo. Este resultado vai dar moral para o time dar a volta por cima na Libertadores. #EuAacredito!

Brasil de Pelotas x Internacional

O Inter é outro que está focado na Libertadores, mas hoje visitou o Brasil de Pelotas. Em um jogo pegado, Valdivia marcou o único gol do primeiro tempo.

No segundo tempo o Colorado marcou o segundo gol aos 48 minutos com Taiberson e venceu a partida.

Mais tarde:

Macaé 1 x 0 Fluminense: O Flu até tentou, mas o meio-campista Juninho marcou um belo gol de falta e garantiu a vitória do Macaé.

Botafogo 3 x 0 Resende: Tássio, Jobson e Rodrigo Pimpão marcaram e garantiram a goleada do Fogão.

São Bernardo 0 x 1 Rio Claro.

Ituano 1 x 2 Audax-SP.

Opine!


Allianz Parque deixa o Itaquerão para trás e é eleito o melhor estádio de 2014 em enquete realizada por site inglês. E isso tudo sem contar com dinheiro público, hein?
Comentários COMENTE

Milton Neves

alliabnzFoto: Divulgação

Uma enquete realizada pelo site inglês Stadium Data Base confirmou o que todos nós já sabíamos.

O Allianz Parque, lindíssima arena do Palmeiras, foi eleito o melhor estádio do mundo inaugurado em 2014!

A casa palmeirense deixou para trás estádios construídos para a Copa do Mundo do Brasil, inclusive o tão comentado Itaquerão, que terminou a enquete em quarto lugar.

E isso tudo, meus amigos, sem contar com dinheiro público, hein?

Confira abaixo os 12 primeiros:

1- Allianz Parque (Palmeiras)
2- Estádio San Mamés (Athletic Bilbao)
3- Otkrytie Arena (Spartak Moscou)
4- Arena Corinthians (Corinthians)
5- Estádio Konya Ataturk (Konyaspor)
6- Stade Velodrome* (Olympique de Marselha)
7- Borisov Arena (Bate Borisov)
8- Estádio Nacional de Cingapura
9- Arena da Amazônia
10- Estádio Hazza Bin Zayed (Al-Ain)
11- Estádio Beira-Rio (Internacional)
12- Arena das Dunas (América-RN)

Opine!


São Paulo vence e Luis Fabiano bate recorde. Corinthians ganha do Marília e torcida fica animada para a Libertadores
Comentários COMENTE

Milton Neves

600

Penapolense x São Paulo

O time da cidade de Penápolis começou melhor e teve duas ótimas chances nos primeiros seis minutos de jogo.

Fisicamente superior, o time do interior de São Paulo correu mais e obrigou o goleiro Rogério Ceni a trabalhar.

Mas time pequeno não pode dar bobeira contra os grandes. Na primeira jogada de ataque do São Paulo, o polivalente Michel Bastos abriu o placar.

Só parte física não ganha jogo, o atacante Diego Rosa perdeu um gol claro e deixou de empatar a partida.

O São Paulo jogou no contra-ataque e quase marcou o segundo gol. Em boa jogada do ótimo Michel Bastos, Luis Fabiano definiu bem, mas o goleiro Leandro Santos defendeu.

Na segunda etapa o Penapolense começou pressionando, mas no primeiro ataque do São Paulo, a bola sobrou para Luis Fabiano e o matador anotou seu gol de número 200 com a camisa do Tricolor.

Aos 33 minutos o atacante Crislan diminuiu o placar, mas a reação do Penapolense acabou por aí.

Reinaldo, que havia acabado de entrar em campo, cruzou para a grande área, mas a bola desviou em Jailton e entrou.

Com a vitória garantida, o São Paulo apenas administrou o placar de 3 x 1 e esperou a partida acabar.

Corinthians x Marília

O Marília começou com todo o gás, mas em um belo lance, logo aos 10 minutos de jogo, o meio campo do Corinthians fez uma ótima jogada e marcou o gol.

Jadson, aposta do técnico Tite, deu um presente ao Renato Augusto, que definiu bonito para abrir o placar.

Os times criaram boas oportunidades, mas perderam os gols. O Corinthians sentiu a parte física e administrou o jogo até o final do primeiro tempo.

O Corinthians voltou para o segundo tempo com a corda toda e aos 10 minutos de jogo Fagner marcou o segundo gol. O lateral chutou de muito longe e contou com a sorte de a bola desviar em Gilberto.

Meu Timão está bom mesmo hein? Logo em seguida Guerrero marcou o terceiro gol do Corinthians.

Segura o Peruano, pois o Palmeira está de olho. Tô avisando!!!

Com esta ótima vitória, o Timão está preparado para disputar a primeira fase da Copa Libertadores da América?

A torcida ficou animada.

Nos outros jogos:

Argentina 2 x 0 Brasil – Sul-Americano sub-20.

Barcelona 3 x 2 Villarreal. Que fase hein Neymar?

Ponte Preta 2 x 3 Portuguesa. A Lusa precisa se recuperar e esta vitória foi importante.

Santos 3 x 0 Ituano. Para quem dizia que o Santos estava fraco hein?

Internacional 1 x 1 Lajeadense. Xi, cuidado com o Grêmio.

Atlético-MG 2 x 0 Tupi. O Lucas Pratto gosta de raposa assada.

Democrata 1 x 2 Cruzeiro. O segundo time de Minas Gerais deu sorte.

Vasco da Gama 2 x 0 Cabofriense. O time da Colina voltou com tudo.

Fluminense 2 x 1 Friburguense. O Fred deixou o dele.

Joinvelle 2 x 2 Avai. Empate no clássico da terra da linguiça.

Opine!


Valdívia genérico marca e Palmeiras perde. Flamengo atropela o Vitória. Joinville é derrotado pelo Oeste, mas vence a série B e Avaí fica com a última vaga da primeira divisão
Comentários COMENTE

Milton Neves

f

O Internacional começou a partida com todo gás. Precisando da vitória para fugir do rebaixamento, o Palmeiras entrou em campo com quatro volantes e jogou no contra-ataque.

O Palmeiras teve a primeira chance do jogo com Marcelo Oliveira, o volante chutou para fora.

Aos 23 minutos da primeira etapa a defesa do Verdão falhou e o Colorado marcou o gol com o atacante Taiberson, que teve a ajuda de Marcelo Oliveira, ao desviar a pelota.

Após sofrer o gol o Palmeiras precisou atacar o Inter. Deu certo, aos 38 minutos, ainda da primeira etapa, o meio-campista Wesley fez boa jogada e encontrou Renato na área, que desviou de cabeça e empatou a partida.

O segundo tempo começou igual, o Inter partindo para o ataque e o Palmeiras jogando no contra-ataque, por uma bola.

Quando o Palmeiras estava melhor em campo o Inter voltou a marcar, em jogada de laterais. Wellington Silva cruzou para Fabrício, que subiu mais que Lúcio e testou no ângulo de Fernando Prass.

O Valdívia genérico, que está jogando mais que o original, entrou em campo e marcou um golaço. O garoto acertou um belo chute de fora da área e deu números finais ao jogo.

Ainda deu tempo do gringo Allione ser expulso pelo segundo cartão amarelo e Bruno César levar cartão vermelho direto, por agredir Fabrício.

A situação do Verdão na tabela é crítica, o time vai disputar o último jogo com chance de rebaixamento. Já o Inter conseguiu uma vaga na próxima Copa Libertadores da América.

Criciúma x Sport

O Criciúma já rebaixado, recebeu o Sport em um jogo sem importância na tabela. Os visitantes abriram o placar com o ótimo lateral-direito Patric.

No segundo tempo o jogo melhorou e o Criciúma empatou com Lucca, mas logo em seguida o Sport voltou a marcar com Ewerton Páscoa.

Lucca estava em noite inspirada e empatou a partida novamente. O jogo terminou 2 x 2.

Flamengo x Vitória

O Flamengo recebeu o Vitória na Arena Amazônia, para um jogo ligado aos clubes que brigam para não cair. O time da Bahia entrou em campo sabendo da derrota do Palmeiras, caso vencesse estaria fora da zona de rebaixamento.

O Vitória marcou um gol contra na metade do primeiro tempo. O zagueiro Kadu tentou salvar seu time, mas anotou o tento.

Na segunda etapa o Vitória precisou atacar mais e deu espaço ao Mengão. Não deu outra, em um belo contra-ataque o atacante Elton marcou o segundo gol. Everton e Nixon anotaram o deles e deram números finais ao jogo.

Escudero pisou em Cáceres e recebeu o segundo amarelo, a expulsão complicou mais ainda o Vitória.

Série B do Campeonato Brasileiro

O Joinville visitou o Oeste e precisava vencer ou até mesmo perder, contanto que a Ponte Preta não vencesse, para ser campeão.

O único gol da partida foi marcado pelo atacante Cristiano, do Oeste. O time de Santa Catarina perdeu, mas foi Campeão Brasileiro.

A Ponte visitou o Náutico e só a vitória lhe traria o título. O meia Vinícius saiu na frente, a Macaca empatou com Renato Cajá, mas viu o troféu escapar de suas mãos.

O Boa Esporte também precisava vencer o rebaixado Icasa para conquistar o acesso à série A. O time mineiro marcou dois gols, mas levou três e deixou a vaga escapar.

O Avaí aproveitou a bobeira do Boa, venceu o Vasco com um único gol, do ídolo Marquinhos, e ficou com a quarta vaga da séria A do Brasileirão.

O Avaí se juntou ao Vasco, Ponte Preta e Joinville. Os quatro estarão na série A do Campeonato Brasileiro de 2015.

Portuguesa, Vila Nova e Icasa começaram a última rodada rebaixados. O América de Natal levou uma goleada do Paraná, viu o Bragantino vencer o ABC e caiu para a série C do Brasileirão.


Mata-mata no Brasileirão já! Por Leandro Quesada
Comentários COMENTE

Milton Neves

1

Nunca escondi de ninguém a minha preferência pelo formato de mata-mata do Brasileirão. Considero modorrento, chato, europeu, longo e nada comercial o modelo por pontos corridos. Venho dizendo isso desde que em 2003 foi implantado o atual modelo de disputa. Retórica antiga acompanhada por poucos.

A minha defesa é que em vez do campeonato ser interessante apenas para os torcedores do time que está na ponta da tabela, neste caso o Cruzeiro, com o playoff teríamos o envolvimento de outras 14, 15 ou 16 torcidas na fase de classificação. Elas estariam empurrando os respectivos times para as quartas-de-final do torneio.

Imaginem que além do Cruzeiro, outros classificados fossem para a fase final!

Internacional, São Paulo, Atlético-MG, Grêmio, Corinthians, Fluminense e Santos estariam garantidos para a fase de mata-mata se a etapa de classificação estivesse encerrada hoje, por exemplo.

Dois times de Minas, dois do Rio Grande do Sul, um do Rio e três de São Paulo disputariam os playoffs em três duelos como aconteceu nos anos de 98 e 99. Um verdadeiro sucesso.

Sucesso nos aspectos de mídia, de informação, de agitação entre as torcidas, de publicidade, de disputas nacionais. Isso fomentaria também o que cerca o espetáculo futebolístico: as redes hoteleiras, os restaurantes e as companhias aéreas nas cidades envolvidas com os duelos entre os classificados. Gente viajando para lá e para cá, pelas cidades de Porto Alegre, BH, São Paulo, Santos e Rio.

Como o Brasileirão está em disputa neste momento, outros oito times poderiam ainda lutar por uma “vaguinha” nas quartas-de-final: Sport, Goiás, Figueirense, Atlético-PR, Flamengo, Bahia, Palmeiras e Chapecoense estariam vivos, sonhando com tal possibilidade.

Alguns vão dizer que eu estou me esquecendo da justiça em se dar ao time que mais pontos fez o título de campeão, que já temos a Copa do Brasil e a Libertadores com o formato mata-mata e que na Europa os campeonatos nacionais são por pontos corridos e por aí vai.

Bem, vou começar pela justiça. Justiça! Justiça é outra coisa. É morar em um país igual, sem tantas disparidades, sem pobreza, com investimentos em educação, moradias, bons empregos e coisa e tal. O futebol não nasceu pra ser justo. A essência do futebol é o fraco ganhar do forte, é o inesperado e o imprevisível. Os pontos corridos atrofiam esta essência. Baita chatice! Futebol é negócio e entretenimento e deve ser visto desta forma. E como negócio deve dar retorno aos patrocinadores e como entretenimento deve ser interessante. Não tem sido nenhum deles.

Aquilo que é bom para a Europa não é bom para o Brasil. No período em que ganhamos o tri mundial, o futebol brasileiro não pensava em copiar a Europa. Em 94, ano do tetra, nosso Brasileirão foi no mata-mata e em 2002, ano do penta, também no mesmo formato. Coincidência ou não, não ganhamos mais nada nas Copas depois da introdução dos pontos corridos. Uma coincidência, creio. Mas é fato que estas duas gerações de 94 e 2002 sentiram na pele as grandes pressões das disputas do mata-mata pelos respectivos clubes. Certa vez um pentacampeão do mundo me contou que os pontos corridos são a maior moleza para jogadores que não têm o “peito” de suportar a pressão de várias decisões. O mata-mata proporciona isso.

O campeonato por pontos corridos quando já definido parece aquele filme em que o enredo já chegou ao fim mesmo estando na metade. Chato pacas! O campeonato mata-mata é a película que nos prende até o final, é o suspense e a espera para sabermos que fim terá.

O campeonato por pontos corridos impede aquilo que é o mais importante no futebol: o confronto decisivo, a “decisão”, a grande final. Oras, a final é tudo. A final entre Fla-Flu, a final entre Galo e Cruzeiro, a final do Gre-Nal, a final entre Santos e São Paulo ou Corinthians e Palmeiras. Quem não gosta? Eu prefiro!

Até 2002, eu lembrava de todas as finais de Campeonato Brasileiro. Curiosidade desde os tempos de garoto que levo até hoje para o meu cotidiano profissional de jornalista. A ficha do jogo, as escalações, o estádio do duelo decisivo, o público, os gols. Até isso este campeonato por pontos corridos nos tirou. Às vezes esqueço o jogo “decisivo” que deu o título a um time nestes tempos “corridos”. Que porcaria!

Bem, embora respeite os “defensores corridos”, desafio a todos a contestarem as emoções que o playoff com os seguintes duelos nos dariam: Cruzeiro x Santos, Inter x Fluminense, São Paulo x Corinthians e Atlético-MG x Grêmio.

Cerca de 80 milhões de pessoas, somados os torcedores destes oito clubes, estariam “consumindo” este modelo a partir deste ponto.

Em tempo: as competições mais interessantes pra mim são: Copa do Mundo, Eurocopa, Liga dos Campeões, Libertadores, Copas do Mundo de basquete e vôlei, os quatro torneios de tênis de Grand Slam. Ah!, claro, uma tal NBA, o torneio de basquete de um país que equilibra como ninguém a disputa esportiva e o “entertainment”.

Imagem: Túlio Nassif/Portal TT


Os EUA também esperam por Neymar
Comentários COMENTE

Milton Neves

1

Escrevo de Nova York.

Foi uma semana especial com minha esposa e filhos, meus quatro titulares.

Afinal, a gente só faz 63 anos na vida uma única vez.

A capital do mundo continua imponente com os seus metros quadrados mais caros e badalados do planeta.

Foi e será sempre assim.

Antes, no domingo à noite, 3 de agosto, saímos direto dos estúdios do “Terceiro Tempo” da Band para Miami, hoje tão brasileira.

Nova York é diferente.

Não é nem “só americana” mais.

É gente de todo lado.

Um festival de povos com rostos, jeitos, expressões, roupas, religiões, idiomas e pressas diferentes.

É a capital mundial do impessoal.

São Paulo perto de Nova York é uma cidade do interior onde todos se conhecem e se cumprimentam.

Sim, São Paulo, tem muito de fria também, mas jamais como a chamada “Big Apple”.

Aqui, mais do que em qualquer lugar do mundo, cada um tem um único time: o “Eu Futebol Clube”.

Mas deu para encontrar com alguns brasileiros, todos corintianos, é claro, no aeroporto, na parte residencial do Essex House, em Tribeca, no importantíssimo Central Park e na dolorida região das torres do antigo WTC.

E gente de todo o mundo continua deixando suas flores em homenagem aos assassinados de 11 de setembro.

 

foto (5)
foto (4)

Ali, você tem uma sensação estranha, diferente, única, esquisita e até sobrenatural.

Todos se emocionam.

Mas, do lado, a vida continua.

São prédios e mais prédios que sobem em velocidade absurda e já beijando as nuvens.

Miami também.

O mercado imobiliário americano, moribundo entre 2010 e 2011, renasceu e voltou com tudo.

E será que esse país monumental verá nascer definitivamente e pra valer o nosso futebol por aqui?

Os times de Nova York e Orlando agitam a bola pelos EUA e o 5 de setembro é aguardado com enorme expectativa lá na Florida e em boa parte do País.

Com Neymar, é claro, estrelando todas as chamadas da mídia envolvendo o amistoso Brasil x Colômbia.

Já por aí, acompanhei pela Internet os jogos do meio de semana.

Destaque para o Corinthians, que voltou da parada para a Copa voando como um Boeing 787, mas que agora já está mais instável que um teco-teco.

A derrota para o frágil Bahia, pela Copa do Brasil, prova isso, mesmo com a classificação alvinegra.

O Palmeiras também venceu e Ricardo Gareca parece estar conseguindo dar forma ao amontoado de jogadores da equipe do Palestra Itália.

Mas a parada de hoje, contra o Galo, no Horto, convenhamos, é das mais complicadas.

E hoje também tem o Gre-Nal que marca a volta de Felipão ao futebol, pouco mais de um mês após os inesquecíveis 7 a 1.

Sorte de D’Alessandro e cia., que deverão ter uma tarde alemã no belíssimo Beira-Rio.


Arena Corinthians nota 10 e CBF fulmina Felipão atirando no pé!
Comentários COMENTE

Milton Neves

1

Gilmar Rinaldi não foi uma boa.

Menos por ele, um ex-empresário de Série B ou C, e mais pela má fama da atividade de “atravessador” de jogador.

Está aí sim um segmento comercial muito mal visto no meio desde a Lei Pelé, a mãe do “intermediário do passe”.

Bastam uma carteirinha da FIFA e uma mesinha, um telefone e uma mocinha e pronto: o sujeito pode caçar e transacionar promessas ou realidades do futebol sem praticamente colocar a mão no bolso.

Há os espertos como Wagner Ribeiro, sempre com o ouro e os diamantes das serras peladas da bola.

Ali só entra, e muito, e nada sai.

E os bobinhos ou falsos malandros como Delcir Sonda.

Ficou muito rico vendendo comida e entrou nessa de jogador levando na testa de jogadores, de pai de jogador, de funcionários, de clubes e do empresário que o atiçou a entrar na roubada de compra e venda de atletas.

“Estreou” na área comprando 50% dos direitos de um “craque” sul-americano por um milhão e meio de dólares.

O “gênio-revelação” veio, jogou, foi mais ou menos e certo tempo depois houve a revenda para clube do mesmo país de origem, ou vizinho.

Como para a transferência os dois sócios precisavam assinar a documentação, houve logo um curto-circuito na relação.

Foi quando o gaúcho Sonda, deslumbrado, afoito e ingênuo na área, descobriu que o jogador havia custado um milhão e meio de dólares, mas no total.

Ou seja, ele pagou 100% do custo, ficou só com 50% dos direitos econômicos e seu sócio “mui amigo” investiu zero dólar e garantiu também seus 50%.

Nessa, no Neymar, no Santos, em Ganso, no São Paulo, e em tantos outros ele dançou!

Praticamente só tomou na cabeça.

Só teve lucro na venda do zagueiro Breno para a Alemanha.

Mas, “burro”, não larga do que chama de “passatempo” em sua vida.

E o Gilmar Rinaldi?

Insisto que ele nunca foi empresário de ponta, mas paga e pagará pelos péssimos fluídos que exalam dos escuros escritórios e jantares em que se negociam e até se convocam jogadores no mundo do futebol.

Eu ficaria com Leonardo ou Falcão, mas deu o gaúcho Gilmar de Erechim que em sua carreira de empresário já acumulou uma derrota que muito o afeta e entristece.

Em encontro coincidente em um jantar de restaurante português em meio à Copa, Gilmar contou a mim, a Branco-94, a Éder-82, a Pedrinho e a Djalminha que não conseguiu salvar Adriano mesmo “armado” com psicólogos, médicos, conselheiros e patrocinadores.

“Ele é inajudável”, disse, lamentando.

Mas, agora, que consiga salvar seu pescoço e nossa seleção, hoje no fundo da cisterna, barrenta.

E os operários lá no fundo do poço são todos do time do “Gauchobol FC”.

Depois de Dunga, Mano, Felipão, Gilmar e agora Dunga, de novo, acho.

Com todos eles sempre trabalhando de bombachas.

E se o fundo do poço da seleção ainda está sendo escavado, tem obra ainda em andamento também na “Arena Corinthians”.

“Arestas” restaram para serem aparadas mas nada a desabonar a fantástica obra, orgulho de “nós” corintianos.

Foi a única Arena pós-Copa do Brasil a manter o padrão FIFA no glamour, visual, vibração e beleza em jogo de times e não de seleções.

Parabéns, Fiel, a casa de vocês e só de vocês para todo o sempre, mesmo com tantos saltos orçamentais alavancados por todas as torcidas brasileiras, minimamente ou não.


Andrés Sanchez, Fernando Carvalho ou Alexandre Kalil? Se você pudesse mudar o comando da CBF, quem você escolheria???
Comentários COMENTE

Milton Neves

marin

A humilhação brasileira diante da Alemanha criou um sentimento de mudança.

A indignação popular com a trágica derrota muitas dúvidas sobre o futuro do futebol brasileiro floresceram.

Onde estamos errando?

Uma das respostas esbarrou no comando da CBF, a entidade máxima que gerencia o futebol no país.

José Maria Marin trouxe Felipão e apostou em um discurso ufanista para tentar levar a Copa.

Agora, o já eleito Marco Polo Del Nero seguirá o mesmo rumo ou fará mudanças radicais na CBF?

E se você, amigo internauta, pudesse escolher o cartola da Confederação Brasileira de Futebol, quem seria?

– o corintiano vencedor Andrés Sanchez;

– o colorado campeão do mundo Fernando Carvalho;

– o atleticano ousado Alexandre Kalil;

– o tricampeão brasileiro Juvenal Juvêncio;

– o atual campeão nacional Gilvan Pinho Tavares;

– o astuto Paulo Nobre;

Algum outro nome importante?

OPINE!!!