publicidade

Blog do Milton Neves

Categoria : eleições


Viva a zebra, o combustível da paixão pelo futebol!

Goiano's Wendell Lira of Brazil reacts after receiving the Puskas Award for Best Goal during the FIFA Ballon d'Or 2015 ceremony in Zurich, Switzerland, January 11, 2016. REUTERS/Arnd Wiegmann

Você conhece a origem da expressão “deu zebra”?

Explica o professor Ari Riboldi, em seu livro “O Bode Expiatório”, que o nome do simpático animal virou sinônimo de um resultado inesperado no popular Jogo do Bicho.

Isso pelo fato de a zebra não fazer parte do grupo de 25 animais que emprestam seus nomes a essa loteria ilegal.

Logo, quando de uma surpresa no sorteio do Bicho, os apostadores costumavam comentar: “Xiii, deu zebra…”.

E não é que a tal zebra decidiu passear por Zurique, maior cidade da Suíça, durante a cerimônia de entrega da Bola de Ouro da Fifa?

No anúncio do “Prêmio Puskas”, que é entregue ao autor do gol mais bonito do ano, foi sensacional ver a cara de espanto da “gringaiada” ao ouvir que o vencedor era o desconhecido brasileiro Wendell Lira, e não Lionel Messi, sempre favoritíssimo em tudo que concorre.

Só não foi mais sensacional do que o discurso do modesto jogador, agora do Vila Nova-GO.

E como ver e não chorar com a vitória, com o sotaque caipira, com o teor e com a perfeita analogia da mensagem de Wendell ao receber seu merecido prêmio?

E vocês repararam no olhar de carinho, emoção, torcida e orgulho de Kaká enquanto o goiano fazia seu doce agradecimento?

Definitivamente, foi um dos dias mais marcantes do futebol mundial nos últimos tempos, apesar de ser um acontecimento extracampo.

Isso pelo fato de a zebra, grande motivo de o esporte bretão ser tão apaixonante, estar sendo extinta do mundo da bola pelos detestáveis “pontozzz corridozzz”.

Então, quando o imponderável aparece, algo raro hoje em dia, mesmo que em uma premiação, acaba chamando a atenção de torcedores mundo afora.

Pena que os nossos cartolas ainda não sacaram isso e seguem insistindo no insosso sistema de pontos corridos, que é completamente blindado contra ataques de zebras.

Paciência…

E por falar em zebra, o Corinthians, tão temido no final do ano passado, mas que agora se tornou um verdadeiro leão banguela por conta do desmanche em seu elenco, entra em campo domingo (17) contra o Galo, pela Flórida Cup, como grande azarão.

O Atlético, que já enfiou uma “sacolada” no Schalke 04 lá nos Estados Unidos, tem tudo para devolver aquela dolorosa derrota para Timão no segundo turno do Brasileirão-2015.

E com juros e correção monetária, hein?

Desta vez a zebra, o grande combustível da paixão pelo futebol, não dará as caras.

Aposto em 5 a 1 para o Galo de Diego Aguirre, que ainda vai pedir para o time tirar o pé no segundo tempo.

Podem anotar!

Foto: UOL


ABCD: Brasileiros bombando, viva o macarrão e xô, pizza!

pdt_img_121607

Estou jogando minha pequena toalha.

Não pude em 2015 meter o pau nos “pontozzzzz morridozzzzz…”.

Foi e está sendo um sucesso o nosso futebol pós-Felipão-7 a 1.

E é paradoxal.

Mesmo com tanto cartola ruim e com o brutal apequenamento de nossa Seleção.

Fizemos uma Copa pífia, vergonhosa, inesquecível.

E o defunto ainda não esfriou.

Levará séculos.

Pobre Barbosa, o sem culpa.

Bem feito para Felipão, que enterrou sua biografia.

Quem mandou ser carreirista e tomar o lugar do mediano Mano?

Pelé não disputou em 1974 a Copa da Alemanha para manter sua coroa no lugar, e Felipão deveria ter se contentado com 2002.

Tiro no pé.

E em 400 milhões de todos os nossos pés.

Hoje Felipão está na China mais trilionário do que nunca.

China que recebeu em 1.271 o mítico veneziano Marco Polo.

Aos 17 anos ele se mandou para lá, lutou contra Kublai Khan, neto de Gêngis Khan, e teria inventado o macarrão.

Só que não é verdade.

250 anos antes o italiano macarrão já existia conforme escreveu Martino Corno no livro “Vermicelli e Maccaroni Siciliani”.

Mas ele desbravou o mundo e adorava viajar.

Foi um Marco Polo internacional!

Já o nosso Marco Polo…

E será que a sua auto-reclusão na CBF e no Brasil está dando sorte aos nossos campeonatos?

Bobagem minha.

Mas como pode o abecedário da bola, na base do ABCD, estar tão maravilhoso em nossos Brasileiros, se a Seleção Brasileira e nossos cartolas estão tão mal?

Marin está preso.

E parem de dizer e escrever que aquele apartamento dele com 200 metros quadrados no 41º andar do Trump Tower da Quinta Avenida de Nova York, vale só 2 milhões de dólares.

Ora, conheço quem compraria 50 apartamentos do mesmo padrão por essa quantia incompatível de Série Y em Manhattan, território de “jogo pesado”.

Ainda mais sendo um imóvel na cara do Central Park e com uma vista maravilhosa.

Vale por volta 8 a 10 milhões de dólares.

E os outros dirigentes?

Carlos Miguel Aidar também danificou a sua biografia.

Marco Polo Del Nero não aceita nem jogar truco aqui do lado no Paraguai.

Laor e Odílio são réus perante a Justiça espanhola na esteira da mal cheirosa venda de Neymar, um enigma.

Mesmo assim o Corinthians empolga, o Galo também, o Grêmio sem Felipão cresceu, o Santos sem dinheiro pós-Laor e Odílio virou competitivo e as outras séries estão lotando estádios.

Na Série B, Botafogo e Vitória vão voltar, sete times lutam por duas vagas, e nas esquecidas Séries C e D temos e tivemos emoções a mil com públicos recordes.

Vila Nova-GO, Lusa, Brasil de Pelotas, Fortaleza, Asa, Tupi-MG, Londrina, Confiança, Botafogo-RP, São Caetano, River-PI, Lajeadense, Caldense, Ypiranga-RS, Remo e Operário-PR empolgam e empolgaram seus torcedores nesta reta de chegada da temporada.

E com esses times todos tão abnegados viajando para todo lado neste Brasilzão de Deus!

Coisa que nosso Marco Polo definitivamente não gosta de fazer, ao contrário de seu xará famoso que tanto o fez há 800 anos.

O mesmo italiano Marco Polo que não inventou de fato o macarrão, mas o nosso Marco Polo adoraria reinventar a pizza.

Foto: UOL


Danilo marca nos acréscimos e salva o Timão no clássico contra o Palmeiras. O líder tropeça fora de casa; Flu, Galo, Vitória, Inter e Botafogo vencem. Grêmio empata com o Coxa, assim como Chapecoense e Santos.

tabu

A 31° rodada do Campeonato Brasileiro ocorreu neste sábado, com exceção de São Paulo e Goiás que se enfrentarão na próxima segunda-feira. Com clássicos em São Paulo e no Rio de Janeiro, tivemos poucos gols em quase todos os jogos.

Palmeiras x Corinthians

O jogo começou pegado e Elias chegou forte em Valdivia. O Chileno sentiu dor na lombar, mas continuou em campo.

Em bela jogada de Valdivia e Wesley, o artilheiro Henrique marcou um gol oportunista. O atacante se antecipou à marcação e desviou no canto direito de Cássio.

Poucos minutos depois o zagueiro Anderson Martins perdeu um gol claro e a chance a de empatar.

O gol deu moral ao Verdão, que foi para cima do Corinthians e dominou o primeiro tempo, por pouco não fez o segundo tento.

O clássico esquentou e os jogadores Luciano e Nathan se estranharam, ambos foram advertidos com cartão amarelo.

O segundo tempo começou emocionante, com as duas equipes atacando e criando boas jogadas.

João Pedro avançou  pelo lado esquerdo e cruzou,  Mazinho apareceu na segunda trave e quase marcou. Em resposta ao lance, o Timão mandou uma bola na trave com Bruno Henrique.

Mano Menezes colocou Malcom no lugar de Jadson, para ajudar Luciano no ataque.

Malcom entrou bem. Fez bela jogada e sofreu pênalti não marcado pelo árbitro.

Mano trocou Petros por Romero e ficou com três atacantes em campo.

O técnico do Corinthians  colocou Danilo em campo em sua última cartada, o meia entrou bem e empatou a partida.

Como diz Mauro Beting, clássico é clássico e vice-versa.

Figueirense x Cruzeiro

Ceará cobrou lateral para a área, a bola passou por todo mundo e Marquinhos marcou o gol. Bobeada do Figueirense.

O primeiro tempo terminou equilibrado, o gol ocorreu em um lance isolado e as duas equipes criaram pouco.

O segundo tempo foi morno até os minutos finais, quando o Figueirense empatou com Pablo.

Olha o líder dando mole novamente! O Cruzeiro está em crise?

Fluminense x Atlético Paranaense

O Fluminense apertou o Atlético-PR, mas não conseguiu fazer o gol no primeiro tempo. O Tricolor teve cinco boas chances contra duas do Furacão.

No segundo tempo o Tricolor se manteve no ataque e abriu o placar com o meia Wagner, em belo lançamento de Carlinhos.

O Furacão empatou aos 45 minutos do segundo tempo, mas Fred salvou o Flu e marcou nos acréscimos.

Atlético-MG x Sport

 Em bela jogada de Diego Souza, Rodrigo Mancha bateu forte, Victor soltou a bola e no rebote o próprio volante marcou o gol.

O Galo pressionou tanto que logo empatou. Tiago cobrou falta com muita força,a barreira abriu o a bola entrou.

Victor foi expulso por derrubar o jogador Wendel, mas o Galo ampliou com Dátolo e Carlos.

Com dez Jogadores, o Galo viu o Sport diminuir com Danilo.

Chapecoense x Santos

O zagueiro Bruno Uvini marcou o gol de cabeça, após cobrança de escanteio.

O jogo foi fraco até o final, quando Leandro marcou o gol e empatou o jogo.

Coritiba x Grêmio

Leandro Almeida, de cabeça, abriu o placar para o Coxa. O Grêmio lutou o jogo todo e empatou com Riveros aos 40 minutos do segundo tempo.

Vitória x Criciúma

O Vitória recebeu o Criciúma e os dois times fizeram um fraco primeiro tempo. Na segunda etapa o nível técnico melhorou e Luís Cáceres abriu o placar para o time baiano. Em seguida o clube de Santa Catarina empatou com Rodrigo Souza.

O ex-corintiano Edno marcou dois gols garantiu os três pontos para o Vitória.

Botafogo x Flamengo

O Botafogo enfrentou o Flamengo com a corda no pescoço. O Fogão abriu o placar no começo do primeiro com Rogério.

Na segunda etapa o Flamengo colocou mais dois atacantes em campo e foi para cima do Botafogo. No contra-ataque o Fogão marcou o segundo gol com o atacante Wallyson.

Eduardo da Silva, que veio do banco de reservas, diminuiu para o Flamengo. Jefferson salvou o Botafogo no último minuto de jogo, foi um verdadeiro milagre.

Internacional x Bahia

Alan Patrick abriu o placar logo aos nove minutos de jogo, o Internacional foi superior e marcou o segundo gol ainda no primeiro tempo, com Nilmar.

O segundo tempo foi fraco tecnicamente. O Bahia não comprometeu a defesa do Inter e o Colorado administrou o resultado.

Real Madrid x Barcelona

Neymar marcou no começo da partida, mas o Real Madrid virou jogo. O ex-santista deixou o Barça na frente, mas o craque Cristiano Ronaldo empatou a peleja. Pepe e Benzema também deixaram o deles.

Paysandu x Tupi-MG

Parabéns ao Papão pelo acesso. Bem-vindo à série B. Em 2016 vai jogar a séria A.

O Paysandu venceu os dois jogos contra o Tupi-MG e está entre os quatro times que disputarão a série B de 2015.

placar_25_10


Mata-mata no Brasileirão já! Por Leandro Quesada

1

Nunca escondi de ninguém a minha preferência pelo formato de mata-mata do Brasileirão. Considero modorrento, chato, europeu, longo e nada comercial o modelo por pontos corridos. Venho dizendo isso desde que em 2003 foi implantado o atual modelo de disputa. Retórica antiga acompanhada por poucos.

A minha defesa é que em vez do campeonato ser interessante apenas para os torcedores do time que está na ponta da tabela, neste caso o Cruzeiro, com o playoff teríamos o envolvimento de outras 14, 15 ou 16 torcidas na fase de classificação. Elas estariam empurrando os respectivos times para as quartas-de-final do torneio.

Imaginem que além do Cruzeiro, outros classificados fossem para a fase final!

Internacional, São Paulo, Atlético-MG, Grêmio, Corinthians, Fluminense e Santos estariam garantidos para a fase de mata-mata se a etapa de classificação estivesse encerrada hoje, por exemplo.

Dois times de Minas, dois do Rio Grande do Sul, um do Rio e três de São Paulo disputariam os playoffs em três duelos como aconteceu nos anos de 98 e 99. Um verdadeiro sucesso.

Sucesso nos aspectos de mídia, de informação, de agitação entre as torcidas, de publicidade, de disputas nacionais. Isso fomentaria também o que cerca o espetáculo futebolístico: as redes hoteleiras, os restaurantes e as companhias aéreas nas cidades envolvidas com os duelos entre os classificados. Gente viajando para lá e para cá, pelas cidades de Porto Alegre, BH, São Paulo, Santos e Rio.

Como o Brasileirão está em disputa neste momento, outros oito times poderiam ainda lutar por uma “vaguinha” nas quartas-de-final: Sport, Goiás, Figueirense, Atlético-PR, Flamengo, Bahia, Palmeiras e Chapecoense estariam vivos, sonhando com tal possibilidade.

Alguns vão dizer que eu estou me esquecendo da justiça em se dar ao time que mais pontos fez o título de campeão, que já temos a Copa do Brasil e a Libertadores com o formato mata-mata e que na Europa os campeonatos nacionais são por pontos corridos e por aí vai.

Bem, vou começar pela justiça. Justiça! Justiça é outra coisa. É morar em um país igual, sem tantas disparidades, sem pobreza, com investimentos em educação, moradias, bons empregos e coisa e tal. O futebol não nasceu pra ser justo. A essência do futebol é o fraco ganhar do forte, é o inesperado e o imprevisível. Os pontos corridos atrofiam esta essência. Baita chatice! Futebol é negócio e entretenimento e deve ser visto desta forma. E como negócio deve dar retorno aos patrocinadores e como entretenimento deve ser interessante. Não tem sido nenhum deles.

Aquilo que é bom para a Europa não é bom para o Brasil. No período em que ganhamos o tri mundial, o futebol brasileiro não pensava em copiar a Europa. Em 94, ano do tetra, nosso Brasileirão foi no mata-mata e em 2002, ano do penta, também no mesmo formato. Coincidência ou não, não ganhamos mais nada nas Copas depois da introdução dos pontos corridos. Uma coincidência, creio. Mas é fato que estas duas gerações de 94 e 2002 sentiram na pele as grandes pressões das disputas do mata-mata pelos respectivos clubes. Certa vez um pentacampeão do mundo me contou que os pontos corridos são a maior moleza para jogadores que não têm o “peito” de suportar a pressão de várias decisões. O mata-mata proporciona isso.

O campeonato por pontos corridos quando já definido parece aquele filme em que o enredo já chegou ao fim mesmo estando na metade. Chato pacas! O campeonato mata-mata é a película que nos prende até o final, é o suspense e a espera para sabermos que fim terá.

O campeonato por pontos corridos impede aquilo que é o mais importante no futebol: o confronto decisivo, a “decisão”, a grande final. Oras, a final é tudo. A final entre Fla-Flu, a final entre Galo e Cruzeiro, a final do Gre-Nal, a final entre Santos e São Paulo ou Corinthians e Palmeiras. Quem não gosta? Eu prefiro!

Até 2002, eu lembrava de todas as finais de Campeonato Brasileiro. Curiosidade desde os tempos de garoto que levo até hoje para o meu cotidiano profissional de jornalista. A ficha do jogo, as escalações, o estádio do duelo decisivo, o público, os gols. Até isso este campeonato por pontos corridos nos tirou. Às vezes esqueço o jogo “decisivo” que deu o título a um time nestes tempos “corridos”. Que porcaria!

Bem, embora respeite os “defensores corridos”, desafio a todos a contestarem as emoções que o playoff com os seguintes duelos nos dariam: Cruzeiro x Santos, Inter x Fluminense, São Paulo x Corinthians e Atlético-MG x Grêmio.

Cerca de 80 milhões de pessoas, somados os torcedores destes oito clubes, estariam “consumindo” este modelo a partir deste ponto.

Em tempo: as competições mais interessantes pra mim são: Copa do Mundo, Eurocopa, Liga dos Campeões, Libertadores, Copas do Mundo de basquete e vôlei, os quatro torneios de tênis de Grand Slam. Ah!, claro, uma tal NBA, o torneio de basquete de um país que equilibra como ninguém a disputa esportiva e o “entertainment”.

Imagem: Túlio Nassif/Portal TT


Arena Corinthians nota 10 e CBF fulmina Felipão atirando no pé!

1

Gilmar Rinaldi não foi uma boa.

Menos por ele, um ex-empresário de Série B ou C, e mais pela má fama da atividade de “atravessador” de jogador.

Está aí sim um segmento comercial muito mal visto no meio desde a Lei Pelé, a mãe do “intermediário do passe”.

Bastam uma carteirinha da FIFA e uma mesinha, um telefone e uma mocinha e pronto: o sujeito pode caçar e transacionar promessas ou realidades do futebol sem praticamente colocar a mão no bolso.

Há os espertos como Wagner Ribeiro, sempre com o ouro e os diamantes das serras peladas da bola.

Ali só entra, e muito, e nada sai.

E os bobinhos ou falsos malandros como Delcir Sonda.

Ficou muito rico vendendo comida e entrou nessa de jogador levando na testa de jogadores, de pai de jogador, de funcionários, de clubes e do empresário que o atiçou a entrar na roubada de compra e venda de atletas.

“Estreou” na área comprando 50% dos direitos de um “craque” sul-americano por um milhão e meio de dólares.

O “gênio-revelação” veio, jogou, foi mais ou menos e certo tempo depois houve a revenda para clube do mesmo país de origem, ou vizinho.

Como para a transferência os dois sócios precisavam assinar a documentação, houve logo um curto-circuito na relação.

Foi quando o gaúcho Sonda, deslumbrado, afoito e ingênuo na área, descobriu que o jogador havia custado um milhão e meio de dólares, mas no total.

Ou seja, ele pagou 100% do custo, ficou só com 50% dos direitos econômicos e seu sócio “mui amigo” investiu zero dólar e garantiu também seus 50%.

Nessa, no Neymar, no Santos, em Ganso, no São Paulo, e em tantos outros ele dançou!

Praticamente só tomou na cabeça.

Só teve lucro na venda do zagueiro Breno para a Alemanha.

Mas, “burro”, não larga do que chama de “passatempo” em sua vida.

E o Gilmar Rinaldi?

Insisto que ele nunca foi empresário de ponta, mas paga e pagará pelos péssimos fluídos que exalam dos escuros escritórios e jantares em que se negociam e até se convocam jogadores no mundo do futebol.

Eu ficaria com Leonardo ou Falcão, mas deu o gaúcho Gilmar de Erechim que em sua carreira de empresário já acumulou uma derrota que muito o afeta e entristece.

Em encontro coincidente em um jantar de restaurante português em meio à Copa, Gilmar contou a mim, a Branco-94, a Éder-82, a Pedrinho e a Djalminha que não conseguiu salvar Adriano mesmo “armado” com psicólogos, médicos, conselheiros e patrocinadores.

“Ele é inajudável”, disse, lamentando.

Mas, agora, que consiga salvar seu pescoço e nossa seleção, hoje no fundo da cisterna, barrenta.

E os operários lá no fundo do poço são todos do time do “Gauchobol FC”.

Depois de Dunga, Mano, Felipão, Gilmar e agora Dunga, de novo, acho.

Com todos eles sempre trabalhando de bombachas.

E se o fundo do poço da seleção ainda está sendo escavado, tem obra ainda em andamento também na “Arena Corinthians”.

“Arestas” restaram para serem aparadas mas nada a desabonar a fantástica obra, orgulho de “nós” corintianos.

Foi a única Arena pós-Copa do Brasil a manter o padrão FIFA no glamour, visual, vibração e beleza em jogo de times e não de seleções.

Parabéns, Fiel, a casa de vocês e só de vocês para todo o sempre, mesmo com tantos saltos orçamentais alavancados por todas as torcidas brasileiras, minimamente ou não.


A grande e irrefutável novidade da CBF é o ex-goleiro e ex-agente Gilmar Rinaldi como coordenador! Morreu Armando Marques, que não soube contar até cinco em 1973!

1Foto: Revista Placar

A dupla José Maria Marin e Marco Polo Del Nero apresentou como a novidade irrefutável o ex-goleiro e ex-agente Fifa , Gilmar Rinaldi,  como o coordenador da seleção brasileira.

Bom, após os setes gols levado da Alemanha, chamaram um ex-arqueiro para segurar a bronca.

E ele também  cuidou da carreira de Adriano Imperador, quando este jogou e bem.

E a escola gaúcha se mantém na seleção brasileira, após Dunga, Felipão e agora Rinaldi.

A prévia da coletiva com o Gallo foi insuportavelmente chata e o ex-volante repetiu quatro vezes a palavra “Gap”.

Segundo o novo homem do presidente da CBF, o novo comandante do escrete canarinho sairá até terça-feira (22.07.2014) e será brasileiro.

No chutômetro, Marin, ligado ao São Paulo, Gilmar, ex-jogador do Tricolor paulista, então o técnico pode ser …. Muricy, não é lógico?

A ex-função de empresário de jogador causará muitas dores de cabeça para Rinaldi na imprensa esportiva.

O mundo errou dizendo que o “homem da CBF” seria Leonardo, eu acreditava que seria Falcão e veio o ex-atleta do Inter, São Paulo e Flamengo!

A grande pergunta é: Gilmar será “boi de piranha” desta fase nebulosa da seleção brasileira?

Aliás, Gilmar Rinaldi é natural da terra do comentarista Neto, Erechim!

Clique aqui e conheça a página de Gilmar Rinaldi na seção “Que Fim Levou?”

E ainda nesta manhã o futebol brasileiro perdeu Armando Marques, ex-árbitro.

Grande conhecedor das regras do futebol, mas com erros lamentáveis em sua trajetória.

Em 1971, anulou um gol legítimo do palmeirense Leivinha e assim entregou o título paulista de bandeja para o São Paulo.

E o maior de todos foi em 1973,  quando Marques não contou até cinco na disputa de penalidades máximas e fez Santos e Portuguesa dividirem o título do Paulistão.

Veja a notícia da morte de Armando Marques

Na seção “Que fim levou?”, a vida e as fotos do ex-árbitro clique aqui e veja

E você torcedor? Gostou de Gilmar Rinaldi na coordenação técnica da Seleção Brasileira? Ele é melhor que os favoritos Falcão e o internacional, Leonardo?


Andrés Sanchez, Fernando Carvalho ou Alexandre Kalil? Se você pudesse mudar o comando da CBF, quem você escolheria???

marin

A humilhação brasileira diante da Alemanha criou um sentimento de mudança.

A indignação popular com a trágica derrota muitas dúvidas sobre o futuro do futebol brasileiro floresceram.

Onde estamos errando?

Uma das respostas esbarrou no comando da CBF, a entidade máxima que gerencia o futebol no país.

José Maria Marin trouxe Felipão e apostou em um discurso ufanista para tentar levar a Copa.

Agora, o já eleito Marco Polo Del Nero seguirá o mesmo rumo ou fará mudanças radicais na CBF?

E se você, amigo internauta, pudesse escolher o cartola da Confederação Brasileira de Futebol, quem seria?

– o corintiano vencedor Andrés Sanchez;

– o colorado campeão do mundo Fernando Carvalho;

– o atleticano ousado Alexandre Kalil;

– o tricampeão brasileiro Juvenal Juvêncio;

– o atual campeão nacional Gilvan Pinho Tavares;

– o astuto Paulo Nobre;

Algum outro nome importante?

OPINE!!!

 

 

 


No estilo futsal, Holanda derruba Costa Rica na disputa de pênaltis e teremos duas “finais” nas semis! É a Copa das Copas!

teste600x400

placar_05_07
Foto Fifa

Que Copa!

É a Copa das Copas!

A Costa Rica deixa  o Mundial de 2014 invicta.

E o que foi este goleiro Keylor Navas?

Monstro, um dos melhores desta competição.

Interrompeu o ataque holandês destes maravilhosos Robben e Sneidjer.

E pela primeira vez no futebol profissional,  eu vi um treinador super corajoso trocar o goleiro para a disputa de penalidades máximas.

Coisas que vi somente no futsal. Usual até.

O louco do Van Gaal tirou Cillessen e colocou  este “Dida Laranja” Tim Krull.

Afinal, o treinador dos países baixos sabia o Krull que tinha.

E não precisarei ficar de cuecas no “Agora é Tarde” como havia prometido no Band na Copa nesta tarde ao lado de Patrícia Maldonado.

Agora teremos duas megas semifinais.

Entre os quatros finalistas são 10 títulos mundiais e 11 vice-campeonatos.

O que esperar destas finais antecipadas?

Espero o Brasil!

E aí, torcedor?

Quem serão os finalistas da Copa do Mundo de 2014?

E quem é o melhor jogador Robben, Neuer, Messi ou David Luiz?

Leia mais

Notas da Copa: Navas, mais uma vez, é o destaque da Costa Rica, mesmo com a eliminação

Protagonistas da Copa: o criador Van Gaal e sua criatura

Capa das Copas: Krull ganhou as manchetes do mundo!

Porquê o Brasil será campeão mundial em 2014!


Neymar está fora da Copa e agora Felipão terá agora que rezar 100 vezes mais para Nossa Senhora do Caravaggio!

 

10508251_663611783714699_1400847215_n

Não há como mensurar o que neymar fez pela seleção brasileira durante a Copa do Mundo.

Da mesma forma que não dá para imaginar o que será da equipe daqui para frente no Mundial sem a sua grande estrela.

Neymar representava aproximadamente 77,52% da equipe de Luiz Felipe Scolari.

Agora, sem ele, Felipão terá que rezar 100 vezes mais para a sua Nossa Senhora do Caravaggio.

Mas, verdade seja dita, o próprio Scolari poderia ter evitado a entrada violenta de Juan Zúñiga em Neymar, caso tivesse sacado seu principal jogador quando a partida estava em 2 a 0.

 

fraturaImagem da fratura de Neymar divulgado no twitter da repórter da rádio CBN, Mayara Siqueira!

Mas, como não dá para voltar no tempo e consertar tudo isso, só nos resta torcer e agradecer.

Agradecer que o garoto não terá nenhuma sequela e em breve poderá viver a sua vida normalmente.

E torcer para que apareça agora no elenco de Felipão um novo Amarildo, que, como todos lembram, substituiu brilhantemente Pelé na Copa de 1962 e foi fundamental para a conquista do bi.

Quem sabe Willian, Bernard…

Eu só sei de uma coisa: o Fred que não será!

Opine!


O Oscar do futebol brasileiro vai para …….!

Redação do Portal Terceiro Tempooscar

Aproveitando o ensejo da premiação do Oscar, a Redação do TT, matutou, refletiu  e culminou na “transformação” de  fatos do futebol em filmes, nas seguites categorias: Filme esquisito, Ator principal que quis virar coadjuvante, Ator coadjuvante que quer virar o principal,  Roteiro Adaptado, Efeitos especiais e  Curta Metragem.

E pede aos seus fiéis internautas outras sugestões e que votem nos candidatos abaixo:

Filme Esquisto

tapetaoflu_200O Mágico do Rio – O “tapetão” que proporcionou a volta do Fluminense a primeira  divisão, preterindo a Portuguesa é digna de uma estatueta. E não seria inédito o Flu receber o prêmio máximo da “vergonha” do esporte nacional.

 

ganso_48x48Dança com o Ganso –  Desde 2010 é a mesma coisa, todos esperam que o meio-campista do São Paulo assuma a sua condição de camisa 10 e norteie os amantes da bola com o seu bailar, nos encante com a  arte dos passes, e também com lançamentos e gols. Mas a cada 15 jogos, apenas um lampejo, uma mísera contribuíção para o coração dos torcedores… Uma pena, Ganso!

 briganosestadio_48x48Gente como  a gente … nos estádios! – Dias, meses e anos, ouvimos as promessas das autoridades, da entidades e por fim dos clubes de futebol para que nos estádios de futebol,  pessoas comuns, apenas aquelas que gostam do esporte e que pagam por isso possam usufruir  e amenizar as duras penas do cotidiano. Mas o que cada vez mais encontramos são os “Torcedores profissionais”.

 

Ator principal que quis virar o Coadjuvante 

laor_48Luís Álvaro Ribeiro, o Laor, ex-presidente do Santos  pelo “O silêncio na Vila Belmiro” –  Sem dúvida Laor foi predominante nas conquistas do Santos Futebol Clube nos últimos anos.  Mas o caso da venda do atacante Neymar para o Barcelona ainda é muito esquisita e o ex-mandatário santista disse que não participou ativamente das negociações do craque para o Barça.

gobbiMário Gobbi, presidente do Corinthians, pelo filme “Casablanca, preta e derrubada” –  Após a invasão da “Torcida Profissional” ao centro de treinamento do Timão, chegando até a agredir jogadores, como afirmou o médico Joaquim Grava, todos esperavam uma atitude contundente do regente corintiano diante da situação de refém do time perante a torcida, mas o que aconteceu foi a promessa de mais diálogo.

marinJosé Maria Marin, presidente da CBF, pelo “O Discurso do Rei que ficou quieto” –  Neste imbróglio do final do Campeonato Brasileiro que ascendeu o Fluminense derrubado nos gramados e declinou a Lusa, que se manteve entre as quatro linhas, esperávamos uma posição oficial da Confederação Brasileira de Futebol, definitiva, a respeito da situação. Mas nunca ouvimos um “pio”.

 

Ator coadjuvante que quer virar o principal!

cicero48x48Cícero, meio-de-campo do Santos, pelo “Quem quer ser um Milionário? – Segundo publicações da imprensa na última semana, o ex-são-paulino e agora santista pediu um salário mensal de meio milhão de reais. Ele ainda não conquistou um título pelo Peixe, também não fez um gol decisivo e muito menos é o ídolo maior entre os torcedores alvinegros. Mas o salário, ó!

brigano-cetTorcida organizada do Corinthians pelo filme “Rebeldes sem causa” –  Certa parte de uma torcida organizada da agremiação do Parque São Jorge resolveu por si, parar de protestar nos estádios, de não usar as vias legais para reclamar e simplesmente impor a força como instrumento de intimidação aos jogadores e a diretoria. É o típico caso de coadjuvante querendo virar ator principal. Lembrando que há dois anos, os mesmos atletas e dirigentes levantaram a taça de campeão da Libertadores e do Mundial interclubes.

walterWalter, jogador do Fluminense, pelo “Touro indomável das Laranjeiras – O “gordinho” do Tricolor Carioca sofreu todo tipo de preconceito por causa do seu peso. Mas a resposta veio dentro de campo com muito gols, talvez ele já tenha mais tentos do que quilos.

 

Roteiro adaptado

fred
À espera de Fred –
  Felipão , o treinador da Seleção Brasileira, utilizou de todos os recursos possíveis para poder convocar o Fred, do Fluminense, para o último amistoso do Brasil. Dividiu os dias da convocação, esperou o centroavante marcar gols e até perder penalidades máximas.

adrianoA última do Imperador – E o Adriano, aquele que já ostentou a alcunha de Imperador, voltou aos campos de futebol e desta vez pelo Atlético Paranaense. Infelizmente o final deste filme já sabemos, não queríamos, mas não tardará. Agora é só esperar o primeiro gol pelo Furacão para ouvir do experiente jogador “Não preciso provar nada para ninguém”.

juliocesarA mão que balança a trave – Não importa onde jogará e muito menos quantos gols sofrerá, Júlio César, o arqueiro preferido de Scolari, parece que nunca perderá o seu lugar cativo na meta do selecionado canarinho.

 

 

Efeitos especiais

morumbiCobertura do Estádio do Morumbi – Foi alardeado por toda capital paulista a cobertura do estádio Cícero Pompeu de Toledo e a construção do estacionamento e duas torres que seriam hotéis. Mas ficou apenas como promessa do presidente Juvenal Juvêncio que utilizou a “obra” como plataforma de campanha para ser eleito no São Paulo.

palmeirasInauguração da Arena Palmeiras – A primeira promessa foi para 2013, depois no ano do centenário e agora em 2015. A construtora W/Torre e o Palmeiras se digladiam para saber quem  manda e  obedece nas alamedas do Parque Antártica, enquanto isso a inauguração é postergarda.

 

estadiosSaltos orçamentais dos Estádios da Copa – Se tivesse uma categoria chamada “contos da carochinha”,  este item seria imbátivel. O primeiro orçamento para os complexos esportivos do mundial no Brasil era aceitável, sem dinheiro público e com um legado em torno das arenas admirável. Hoje, aquele orçamento triplicou, o dinheiro e os beneficios públicos são essenciais para os términos das obras e o espólio…. você sabe!

 

Curta metragem

58x48_pato“Os Pássaros”, com Alexandre Pato – a passagem de Pato pelo Corinthians foi tão triste e sem apelo, que apenas as suas inconstantes entrevistas e o seus ganhos eram comentados.

 

lucio“Os brutos também amam”, com Lúcio o zagueirão campeão do mundo pela Seleção Brasileira em 2002, não foi “amado” no São Paulo e sua passagem foi inexpressiva, no que difere e muito, da sua atual condição no Palmeiras.

 

vargas” Tempos Modernos”, com Vargas – O chileno saiu do seu país para jogar no Napoli, onde não se adaptou e veio para o Grêmio e nada fez, flertou com Santos e São Paulo e fechou com o Valencia, da Espanha.

 

E agora,  torcedor?  Chegou a hora do seu voto!