publicidade

Blog do Milton Neves

Excessos afogam a Justiça e o Palmeiras

Milton Neves

O Palmeiras quer Diego Souza.

O Palmeiras quer Diego Costa.

O Palmeiras queria Richarlison do Flu.

O Palmeiras pretende contratar Messi, Neymar, Pelé, Maradona, Ronaldo Fenômeno, Romário, Rivaldo, Beckenbauer, Cruyff, Di Stéfano, Garrincha, Nilton Santos…

Ei, Palmeiras, que tal primeiro conseguir domar, escalar e disciplinar taticamente essas 800 feras que você já tem no maior e talvez melhor elenco da América do Sul?

Ora, já é jogador em excesso e ainda querem inchar mais um pouco?

Eduardo Baptista não soube e Cuca não está sabendo como fazer um bom omelete com tanto ovo.

O Palmeiras hoje tem quase três jogadores por posição, todos “de nome”.

O Corinthians tem um só jogador por posição e muitos deles até outro dia desconhecidos, antes do fenômeno Fábio Carille.

O Santos mal tem 11 jogadores à altura de 4,67% da tradição do clube.

Já o São Paulo, quinta força do futebol paulista, “não tem nenhum”.

Por este lado e não pelo outro que vou citar, o “Verdão do Parque Antártica” me lembra o atual momento da política e do Poder Judiciário do Brasil.

Se o Palmeiras não se acerta por excesso de jogador, nossas autoridades do Judiciário andam soltando e absolvendo investigados “por excesso de… provas”!!!

Essa sacada foi de Andréia Sadi, “a Neymar do jornalismo político do Brasil”.

E isso já virou febre.

Ela e a sacada.

E é verdade, com tanto prende-solta e condena-absolve.

Se soltam tão rápido, por que prendem?

O primeiro afoito, por mais incrível que pareça, foi o ícone Sérgio Moro, uma paixão nacional e hoje silencioso, cabreiro e ressabiado atrás do toco em seu atacado e sitiado bunker de Curitiba.

Será um novo “Forte Álamo”?

Aquela “predindinha” de Lula, de São Bernardo para o Aeroporto de Congonhas, mas logo liberado, foi o clássico “criou cobra”.

Hoje, perdido o timing e com Porto Alegre fazendo gol contra ele no caso do “meia-armador” Vaccari, Moro já deve ter refeito por muitas vezes sua sentença para condenar Lula e “seu” tríplex do Guarujá.

Estou sentindo sinuca de bico e se ele não condenar Lula “vai pegar mal”, após tanto barulho.

Moro pisa em ovos.

É que o clima mudou para melhor para os investigados e para pior para os investigadores, o que se lamenta e condena.

E mudou também para Rogério Ceni e Aécio Neves, “meu primo”.

Mas com uma diferença: Rogério Ceni tem futuro.

O Nilmar, no Santos, não sei.

Dois joelhos operados, sumido nos Emirados Árabes Unidos e sem jogar há… 14 meses!?!?!?

Difícil!

E como Kayke e Bruno Henrique prometem, a vinda de Nilmar significa que Ricardo Oliveira acabou?

Mas que seja bem-vindo como foi o inverno.

Afinal, “quanto mais frio, melhor” (jornalista Mauro Beting).

Opine!