publicidade

Blog do Milton Neves

Não torça contra porque o mal reverte

Milton Neves

TORCIDA-UOL

Que semana, hein?

Futebol dos bons na terça, quarta e quinta-feiras.

A seleção renasceu e Palmeiras, Flamengo e Galo seguem na ponta da tabela, firmes.

Brasileirão muito bom, equilibrado e disputado, e eu triste.

Ora, assim não tenho como voltar com a minha ladainha pregando o retorno do emocionante mata-mata.

Ah, que pena!

O Corinthians ganhou a Libertadores e o Mundial e eu perdi estes dois antigos e belos motes para “perseguir” o Timão.

Só restou o “Palmeiras não tem Mundial”.

Pior é que tem.

E tem também um timaço, um grande treinador e o melhor presidente dos clubes brasileiros, ao lado do Eduardo Bandeira de Mello, do Flamengo.

Mas treinador bom mesmo é o Tite.

Aceitação de 100% e começou fulminante como Telê e Saldanha.

Mas só 99% da crônica esportiva está habilitada pela coerência a aplaudir, elogiar e a citar o atual treinador da seleção brasileira.

Quem bancou obstinadamente que Tite jamais trabalharia com Del Nero, um presidente caído que está comemorando finalmente dois meses bons “de vida”, tem que ficar de bico calado até o dia em que o gaúcho sair.

Que demore 30 anos!

E que venha o hexa, depois do ouro olímpico que teve, sim senhores, o dedo de Tite em suave intervenção branca após os trágicos empates contra os folclóricos times do Iraque e da África do Sul em nossa bela Olimpíada.

Olimpíada e Paraolimpíada que calaram com seus imensos sucessos os pessimistas e urubus de plantão.

O negócio, gente, na vida, é torcer a favor, é claro.

E sempre!

Como no caso de Temer.

O “Fora Temer” por enquanto é inócuo, só enche o saco e atrapalha um time ainda inseguro.

De um jeito ou de outro, o homem entrou e só sairá antes da hora se for igual ou pior que Dilma.

Se ele for mal só nos restará “chamar o Tiririca” e todos nós pagaremos um novo pato.

E o que ele herdou é dos mais indigestos.

FHC foi 9.5.

Lula foi 9.7.

Dilma foi em quatro anos 5.2.

No segundo mandato, oscilou entre 0.9 e 1.17 e andou “empatando” com Trump no mercado imobiliário.

Ele é o “Rei dos Edifícios” e ela foi a “Rainha do Aluga”, o que mais se lê hoje nas ruas do Brasil.

Assim, mesmo com ele não tendo carisma e sendo dono de um discurso não fluente, torcer contra Temer é dar tiro no pé, em todos os nossos pés.

É como torcida que vaia seu time antes e durante o jogo.

Estamos no buraco e no caso do novo presidente valem por enquanto o “vai que dá certo?” ou “niki o hômi acerta?”.

Mas o certo mesmo é o parlamentarismo.

Primeiro-ministro ruim cai e é substituído rapidinho.

Sem essa sangria toda de impeachment.

Chefe de Estado em má fase, ruim de bola e péssimo de serviço tem que sair mesmo, como treinador fraco, goleiro frangueiro ou atacante que não sabe fazer gol.

Vamos acreditar e apoiar o Tite, comemorar que Neymar não mais tem o fardo de capitão e torcer pelo marido da Marcela.

Que ele pelo menos equilibre este torto gigante verde e amarelo em boa base para que o próximo presidente erga um grande arranha-céu “do Oiapoque ao Chuí”.

Ou você também joga no time do “quanto pior, melhor”?

OPINE!!!