publicidade

Blog do Milton Neves

A economia descobre a pólvora… no futebol!

Milton Neves


Escrevo de Miami.

Depois de longos 30 dias mineiros e americanos, estou de volta para 2013 e 2014 que serão sensacionais para tudo e todos que se relacionam com futebol, marketing, economia, jornalismo, esporte e etc…

E o ano começou justamente com megaevento envolvendo nossos principais clubes e oito grandes empresas brasileiras e multinacionais.

Foi a PRIMEIRA VEZ “na história deste país”, desde Pedro Álvares Cabral, que PIB, PIBINHO ou PIBÃO e a economia nacional se renderam e se uniram ao futebol.

Com certeza a economia descobriu a pólvora da bola e os executivos financeiros  aprenderam mesmo com o professor Pedro Trengrouse, da FGV, que fulminou: “É preciso olhar para o futebol como uma atividade econômica, não apenas como lúdica”!

Modestamente, e bota modestamente nisso, este caipirão que aqui vos escreve sacou isso há décadas e décadas.

Fui convidado a comparecer pelo executivo Marcel Marcondes, da Brahma, mas não deu para vir.

Ia dar talvez até uma mini-palavrinha no espetacular e inteligente evento do Memorial da América Latina.

Vi parte do tape pelas mãos de executivo de “minha” AMBEV (aliás, bem vindo, viu, Felipão?) e dou parabéns ao Galvão Bueno.

Ele deu um show, é muito bom mesmo em tudo o que faz e podem achar, dizer e patrulhar o que quiserem sobre este ícone da mídia brasileira.

Mas, “peraí”, não era a Rede Globo que nunca permitia qualquer ligação, mínima que seja ou fosse, de seus jornalistas com publicidade e seu mundo econômico?

Está tudo certo, afinal foi só um evento esportivo, jornalístico e um… “pouquinho” comercial, não é?

Mas será que existe, por exemplo, uma mulher só um “pouquinho” grávida?

“Pouquinho”, mas envolvendo oito empresas que, juntas, são mais fortes do que uns 20% dos países do mundo.

A verdade é que na publicidade de pouquinho em pouquinho está quase todo mundo adotando o lema do hino do Flamengo: “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.”

Mesmo que de pouquinho, de leve, de “soslaio”…

Nos eventos e palestras então…

É logotipo de empresas para todo lado nos anfiteatros, ginásios, auditórios e bancadas com jornalistas globais ou não fazendo palestras e eventos coorporativos pagos perante platéias de centenas ou até de milhares de pessoas.

E com tudo transmitido, repercutido e eternizado pela internet para milhões e milhões de consumidores.

A top Marília Gabriela, um dia na Folha, afirmou: “Jornalista da Globo não pode fazer propaganda direto na TV, mas evento corporativo comercial, pode?”

Nada demais, faz parte…

É a evolução inteligente da comunicação.

Mas e o Neymar, hein?

Se Pelé jogou 18 (dezoito!!!) anos no Santos e sempre cercado de gênios da bola, Neymar, sozinho, jogará ou terá jogado, na ponta do lápis, só 2 (dois!!!) anos na Vila.

Ou seja, 2010 e 2011.

E formando agora um belo trio no Peixe com o relógio e a folhinha.

E cada “X” que todo dia ele coloca em seu calendário já está faturando uns 8 mil euros lá na frente, a partir de julho de 2014.

E nessas “semanas” que faltam para o pelezinho incrivelmente bater asas DE GRAÇA, ele dará as caras na Vila como um belo barnabé.

E atenção: se ele quiser poderá até ser do Corinthians em um ano e meio!

Eu insisto, LAOR: dê um jeito de consertar a burrada que você fez e se arrependa desse negócio tão infeliz e lesivo do Santos FC.

Brigue, renegocie, arrependa e entenda que na vida o único arrependimento que não tem volta é o do suicida bem sucedido.

E que fique claro: a maior “transferência” da história do futebol brasileiro não foi a do Lucas, mas a da “permanência” fugaz de Neymar no Santos.

Os dois Neymares obtiveram um abatimento de um ano de contrato, compraram o passe de um gênio sem pagar nada e ainda por cima ganhando milhões por mês.

Com Neymar jogando na seleção e emprestado ao Santos.

Sim, o Laor matou os “empresários oportunistas” do jovem jogador com um belo tiro como que se estivesse matando um carrapato.

Só que o carrapato estava na barriga da vaca que foi para o brejo e para o céu como uma baleia encalhada na praia do Gonzaga com o distintivo do Santos na testa.

Agora só falta o Neymar logo, logo anunciar seu novo patrocinador.

Para sua folhinha de ouro da parede.

OPINE!!!